Outras nádegas

 

segunda-feira, setembro 24, 2007

Salvo!!!

Entra no bar, senta-se, afasta a cadeira ao lado e as pernas descansam confortavelmente como se estivesse em seu fictício escritório com cadeira de couro, máquina de escrever e telas de um certo pintor ousado do momento. Num gesto simples e impensado balança a cabeça ao ver o dono da casa acenar insistente para seu cliente assíduo e extravagante. A garçonete, que para ele parece exibir a mesma juventude e o mesmo sorriso singular de 10 anos atrás, repousa sua refeição e ele sente novamente um prazer enorme por não ter que pedir com bastante gorgonzola. O vinho e o livro. Não é pelo ambiente, tudo está tão velho e sem brilho; nem pela música, a muito se renderam a “coisas” totalmente incompreensíveis; muito menos pela velha garçonete que ainda o tenta paquerar. É por não mais sentir a atmosfera e as pessoas que estão por perto, é por não perceber como os assuntos são sempre os mesmos, como as desculpas para se embebedarem e gritarem uns com os outros não sofreu mudança alguma, ainda são bobas, sem criatividade e a política é sempre porca e facilmente entendida. O livro se apóia perfeitamente na garrafa de vinho e coisa alguma o distrai, passa o tempo em que dura o interesse. Ninguém sequer imagina para onde vai, onde se sente pequeno, menos doutor, mais humano talvez. Talvez se sinta por lá um gosto de merda tão forte, um cheiro de gente, talvez viva em um lugar cheio de consoantes ou com uma mãe inválida o espera para preparar seu mingau. Nada o incomoda. Entra e sai.
Um dia irão colocar em sua frente um copo com suas iniciais e no túmulo a frase: “Aqui jaz um salvo”. Aleluia!!!


link | posted by Simy at 6:50 PM |


2 Comments:

Anonymous Juliano commented at setembro 25, 2007 8:40 PM~  

Que bom que voltou!

~*~

Com uma vida assim morrer é bem pior.

;)

Grande beijo.

Blogger GUGA ALAYON commented at novembro 01, 2007 9:57 PM~  

bárbaro!
bjs

Want to Postar um comentário?

powered by Blogger